ColunistasPsicologia

Janeiro Branco: a importância em se falar de saúde mental

Tempo de leitura: 4 minutos

 

O janeiro branco, campanha sobre a conscientização do tema, alerta de forma geral sobre a necessidade de procurar profissionais capacitados para realizar um tratamento. Porém, dizer sobre saúde mental sem explicar de fato o que ela é, não seria o suficiente.

Ao longo da semana em nosso Instagram, colocamos informações sobre o adoecimento mental da população como um todo, porém, apresentar estes fatos, é necessariamente falar sobre saúde?

Por isso, no post de hoje discutiremos alguns temas de maneira ampla, abordando dados a respeito de cada tema relacionado a saúde mental. A compreensão destes conceitos, é de suma importância para a adequação que devemos ter com a população, sobre a importância de se promover saúde mental.

1. O que é saúde? E prevenção? E doença?

É um consenso entre todos que saúde é um dos pilares de nossa vida, mas será que de fato entendemos o que é? Por diversas vezes, caímos em algumas regras que não correspondem ao seu real significado.

O primeiro deles, acreditar que saúde é o oposto de doença. Muito se associa dessa forma, devido as referências que temos sobre profissionais de saúde, que tem como função, “curar” as doenças do paciente.

A verdade que esta premissa é equivocada, uma vez que, o próprio hospital, que supostamente é um ambiente de saúde, também é uma das áreas mais propensas a transmissão de doenças.

Outro ponto também pouco abordado, são as campanhas de prevenção. Prevenção é fundamental para a promoção a saúde, mas também, não é saúde.

Quando falamos de prevenção, também falamos fundamentalmente de doença, afinal são as ações para impedir o surgimento para tal. Porém, a ausência de doenças, também não quer dizer que seja saúde.

Sendo assim, é possível categorizar a prevenção a ações que realizem o controle e redução de riscos e doenças, baseado no conhecimento das patologias a serem combatidas.

Com base nessas diretrizes, realizar prevenção é ser informativo a sociedade, assumir um caráter de transmissor de conhecimento, e com isso, centralizar as ações no poder de um estado ou uma instituição.

Campanhas de vacinação são um bom exemplo, uma vez que elas restringem a sua ação de prevenção a um controle estatal, em que todos devem comparecer e se submeter a vacinação.

2. Finalmente, saúde

Talvez, o verdadeiro significado de saúde, diz respeito justamente a ausência de controle estatal sobre este domínio. Ser saudável, implica a capacidade das pessoas em modificar o seu meio, a sua sociedade ao redor em benefício de sua própria qualidade de vida.

Sendo assim, além de saúde remeter ao equilíbrio bio-fisico-psiquico-social-espiritual, conta na verdade sobre a autonomia do indivíduo de tomar as decisões por si próprio. Se o estado se responsabiliza por conter as doenças do indivíduo, o indivíduo então é o responsável pela sua própria felicidade e qualidade de vida.

2.1  Saúde mental

O conceito de saúde mental é uma extensão de saúde, ampliando para os aspectos emocionais e comportamentais de cada um.

Se no conceito de saúde, se explica sobre a necessidade de ser responsável e autônomo pela sua própria saúde e de suas exigências, saúde mental implica nas nossas responsabilidades de lidar com o outro e consigo próprio.

Diferente do que muitos acreditam, saúde mental não é ser “zen”, ou abstrair das próprias emoções negativas e viver como se a vida fosse um mar de rosas. O mundo, a nossa rotina, não permite que as coisas sejam apenas experiências prazerosas, e talvez seja melhor dessa forma.

3. Como se obter saúde mental

Ter saúde mental implica como saber lidar com as boas e as más emoções, que não somente fazem parte de nossa vida, como também é fundamental. Sentir raiva, medo e tristeza, nos permite também nos adaptar diante de situações aversivas.

Experimentar e compreender as emoções nos levam ao próximo passo: aceitar que a vida, o mundo, as pessoas ao redor cobram, e cabe desenvolver a nossa resiliência para lidar da forma mais assertiva com os desafios impostos.

Tão relevante quanto encarar os desafios da melhor forma possível, é saber que nem sempre o nosso planejamento dará certo, pois não temos controle sobre a decisão dos outros e do mundo em relação aos nossos posicionamentos. Ter saúde mental, também é saber lidar com a frustração e aceitar, em boa parte que o mundo não será sempre justo.

Todos os itens acima, representam o plano ideal sobre a saúde mental de alguém, porém, obviamente, não são fáceis de serem seguidos. E justamente por isso, um dos mais importantes parâmetros sobre ser saudável, é também o de reconhecer seus próprios limites e pedir ajuda quando necessário.

Não é demérito algum dizer aos outros o que sente, e muito menos o de se pedir por ajuda, quando algo não sai da maneira que se espera. Aceitar que não somos perfeitos e que sempre temos questões a se resolver, seja na verdade, um enorme auto conhecimento.

4. Promoção à saúde acima de tudo

Por estas definições, apoiamos o janeiro branco, que se apresenta diferente das demais campanhas ao decorrer do ano, que tem um caráter de prevenção, enquanto o janeiro branco carrega o aspecto de promoção, discussão, e fomenta a discussão sobre como obter e também o que é saúde mental

O PsicoManager, tem como seu principal valor, que o psicólogo economize seu tempo de gestão, para que possa se capacitar cada vez mais com seu atendimento, justamente para que realize a promoção a saúde, não somente com seus pacientes, como também com toda população e comunidade ao redor.

 

Giovani Lucena

CRP-04/55806

CEO e co-founder da Pajé

 

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *