Sem categoria

6 passos para não passar aperto trabalhando por conta própria

Ao pensar em trabalhar e abrir a sua própria clínica, você já imagina todas as coisas positivas que isso te trará: independência financeira, ter seu próprio horário de atendimento e não ter que dar satisfação para um chefe sobre assuntos como atrasos, atestados, entre outros. E tudo parece perfeito, não é mesmo? Porém, quando aparece os primeiros obstáculos, você começa a ficar desmotivado(a).

Há vários profissionais pensando em migrar para essa modalidade, porém o que poucos sabem é que, apesar dos ganhos parecerem maiores, o prejuízo pode vir. Por isso, separamos para você dicas para não passar sufoco na hora de abrir sua clínica.

1. Faça um planejamento financeiro

Você precisa ter um planejamento financeiro pessoal e empresarial. Com esse planejamento, você cria metas e planos de crescimento do seu negócio, mantendo-se afastado das dívidas.

Os dois planejamentos são bastante parecidos: inclua todos os gastos e vai diminuindo dos seus ganhos. Não esqueça de incluir todos os impostos, empréstimos e gastos futuros. Lembrando que nenhuma empresa cresce sem um planejamento bem feito.

O que psicólogos precisam saber sobre contabilidade?

2. Separe sua vida pessoal da profissional

Sabemos que, as possibilidades de passar seu cartão pessoal para pagar alguma conta da sua empresa, ou até mesmo pegar um empréstimo com taxas mais “suaves” no seu CNPJ e usar para tirar aquela férias, são bastante tentadoras. Porém, essa é uma prática bastante perigosa.

É necessário que você separe todos os gastos e ganhos para manter a saúde financeira da sua clínica. Pense que, assim que colocar os pés dentro de sua clínica, você se torna empresário, e seu trabalho só acaba assim que chegar em casa.

Não saia gastando o quanto quiser, sem se preocupar se é seu CPF ou CNPJ. Essa é uma prática que torna mais fácil perder o controle financeiro tanto da sua clínica e na sua vida pessoal. Quando isso acontece, é muito difícil retomar a organização de ambos.

Quero ter um consultório, por onde devo começar?

3. Faça a média de ganhos

Quem resolve trabalhar como um autônomo, convive com a incerteza. Em alguns meses os ganhos te fazem pensar que está indo muito bem, já em outros meses você termina o mês contando moedinhas. Para evitar que isso aconteça, é preciso que seja feito uma média de ganhos e planejar também suas finanças de acordo com esses números.

Some tudo que você ganha durante o ano e divida por 12. Assim você faz com que sobre dinheiro nos meses bons e que nos meses ruins você consiga suportar sem passar sufoco.

5 dicas para reduzir os custos do seu consultório

4. Se prepare para os dias ruins

A reserva de emergência será sua melhor amiga nos períodos ruins. Aprenda a planejar e monte a sua o mais rápido possível. Como dito no item 3, o ideal é ter dinheiro suficiente para suportar seus gastos no período de 12 meses.

Qualquer imprevisto poderá derrubar sua receita por meses, e para evitar que isso agrave mais, a sua reserva de emergência entra em ação. Não subestime a importância desse dinheiro, pois ele trará tranquilidade, sabendo que pode passar alguns meses sem receita e mesmo assim seu padrão de vida não mudará.

Como reduzir a inadimplência em sua clínica psicológica

5. Tenha metas e horários

Quando falamos que trabalhamos por conta própria, muitas pessoas pensam que você trabalha hora que quer e onde quer também, sem ter planejamentos e sem responsabilidades. Porém, empreender significa acordar cedo, dormir tarde, não ter férias e/ou feriados, tudo em prol do crescimento da sua clínica.

Esse não é um bom hábito para sustentar. Em qualquer área que você queira crescer, é necessário ter horários e metas definidas. De nada adianta viver apenas para o trabalho, ficar por 80 horas semanais sobre seu negócio e não saber onde quer chegar.

O certo é definir seus dias trabalhados, os horários a serem feitos, e claro, uma férias no ano, pois, além de tudo você merece um descanso.

E aí, tem mais alguma dica para passar pra gente? O que você faz no seu dia a dia que te ajuda ainda mais na sua clínica? Conte pra gente nos comentários.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *